Sobre

“Cerveja de Apartamento” tem duas razões. A primeira é que o blog precisava de um nome e eu não fui capaz de inventar nada melhor que isso. A segunda é que eu, de fato, produzo a maioria das minhas cervejas num apartamento, o que muitas pessoas consideram algo inusitado.

Para quem foi criado no interior, dizer que alguma coisa é “de apartamento” traz consigo uma conotação depreciativa. Eu não sei se a expressão ainda vigora com a mesma intensidade nos dias de hoje, mas, na minha infância, chamar alguém de “guri de apartamento” era um dos piores xingamentos que havia, perdendo só para aqueles que envolviam a mãe. O “guri de apartamento” era aquele bundão mimado, sempre protegido pela mãe (ou pior, pela avó), que não jogava nada mas era o dono da bola (e, por sinal, sempre acabava o jogo antes porque tinha que ir à aula de inglês ou de alguma outra coisa que os pais tinham matriculado).

Cerveja de apartamento não tem nada a ver com guri de apartamento, até porque guri de apartamento não faz cerveja – e, se faz, só usa extrato, porque malte faz muita sujeira. Cerveja de apartamento tem a ver com fazer o espírito homebrew prevalecer mesmo nas condições mais adversas, no espaço limitado, nos três lances de escada com o saco de malte nas costas ou no pano de chão que eventualmente vira pano de teto.

O assunto aqui será produção caseira de cerveja, tendo como enredo minhas próprias experiências (sejam elas bem ou malsucedidas). Não pretendo usar esse espaço para escrever sobre curiosidades, notícias, releases, análise de mercado ou avaliação de cervejas comerciais. Eventualmente, alguns desses assuntos aparecerão, mas não mais do que eventualmente. Além das cervejas, é possível que outros fermentados também dêem as caras por aqui. Já garanto que o hidromel será o primeiro.

Vou escrever partindo do pressuposto que os leitores serão outros cervejeiros, o que não quer dizer que os demais entusiastas da cerveja não sejam bem-vindos. Tenho interesse especial pelas ales belgas (saisons e sours em particular), mas também aprecio as inglesas e até uma boa lager.

Devo confessar que tenho uma certa dificuldade de escrever em primeira pessoa (fico com aquela sensação de “querido diário…”), por isso adiei o primeiro post inúmeras vezes. Mas, finalmente, consegui pôr o blog no ar e parar com essa frescura. Porque frescura é coisa de guri de apartamento.

Sejam todos bem-vindos.

Paulo Dalla Santa
Contato: paulo@cervejadeapartamento.com

Anúncios

7 comentários sobre “Sobre

  1. Show de bola! Parabéns pelo espaço! Ainda não consegui ler tudo, mas consegui muita informação bacana pra me ajudar nas últimas produções (uma lager com vários grãos e uma sour). Valeu! Nunes.

    • Obigado, Nunes. Seja sempre bem-vindo por aqui.
      Vamos ver se até o final de semana eu consigo postar alguma coisa nova, porque os últimos meses estão complicados.
      Abraço!

  2. Muito legal esse Bog, Paulo!
    Parabéns!
    Só conheci agora, e é legal ver a seriedade com que tratas o Hobby, e compartilha com a galera. Aprendo muito.
    Vou estar sempre acompanhando e hoje mesmo vou ressuscitar um fermento usando a técnica que tu mostrou.
    Abçs,

    Francisco Führ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s